Comportamento

O que desse na “telha”

o-que-der-na-telha-ideias-da-fe

Resolvi tirar um dia pra mim. Não necessariamente me excluí de tudo, mas procurei pensar no meu bem estar. Pegar mais as coisas que me trazem alegria e praticar sabe? 

Sem planos, sem horários marcados, apenas eu. O que desse “na telha”, e o destino. É, a gente tem as escolhas a fazer, e geralmente coloco a cabeça para funcionar e analisar a opção mais sábia. Só que hoje, eu segui a emoção, o que deu vontade. 

Analisar os prós e contras não foi o meu foco. Queria sentir a sensação se viver de verdade. Realmente sentir o que é estar feliz e plena com a natureza, com as coisas que conquistei ao longo do tempo, e com as pessoas que entram e permanecem no meu mundinho. 

Geralmente só se faz este tipo de reflexão no dia 31 de dezembro, o grande momento da “passagem” de ano. Porém nos 364 dias restantes, será que nos esforçamos o suficiente para viver dignamente? 

Me recuso e questionar somente no famoso Ano Novo. Quero me reinventar a cada instante, e ser melhor a cada segundo. Então, sim, eu peguei um dia para me organizar por dentro e por fora, para me questionar, por em xeque e tomar uma atitude. Porque a dor de saber que deu errado, será maior do que a dor de saber que nunca enfrentei os desafios e deixei de correr atrás daquilo que meu coração indicava que devia ser feito. 

You Might Also Like

No Comments

    Leave a Reply