Comportamento

Vou abrir o jogo

Vou abrir o jogo, não está fácil. Não digo no sentido de estar insatisfeita, sabe? Mas assim, por mais que eu me esforce, parece que não chego tão perto do meu sonho. Eu sei, você vai dizer “por que sonhar, se pode ir e realizar, fazer acontecer?”. 

Bem, fiz a mesma pergunta a mim mesma. Me questionei até que ponto vale a pena lutar pelo o  que quer, sendo que o eu quero é uma coisa tão distante. Fora que não depende de mim para esse sonho realizar. Eu preciso de pessoas, contatos, indicações e fidelidade. Aí que as coisas complicam. Quando é que alguém não puxa a sardinha para o seu lado e mede apenas seus interesses pessoais? Quando é que alguém se dedica a fazer determinado trabalho, sem pensar apenas no seu lucro? 

Amor pelo o que faz, e respeito pelo  o espaço do próximo não existe em abundância. E isso interfere não somente no meu sonho, quanto nos sonhos de muitos que vivem neste mundo de forma sentimental, que acreditam em uma energia positiva que pode mover as coisas, que acreditam no amor, ingenuidade e pureza. Precisa-se por em  prática os valores que se aprende na escola, que se aprende em casa. Ter coração aberto, bondade na alma e mente aberta. 

Não é fácil , não é. Impossível? Jamais. O poder de mudar, de transformar, e acreditar está em nossas mãos. Então por mais que eu me veja neste conflito interno, lá no fundinho da alma eu sei que estou fazendo a coisa certa. Minha parte eu estou fazendo. E se parar para pensar, isso é o que importa. 

You Might Also Like

No Comments

    Leave a Reply